sexta-feira, outubro 03, 2008

Against all Odds

As vezes olho para a vida de certas pessoas.
Em que tudo supostamente "bate" certo.
Tudo no seu devido tempo. Tudo conforme planeado.
Universidade, namoro, casamento, filhos. Certezas e mais certezas. Modelos sociais de felicidade.
And I wonder...
Porque tudo na minha vida foi fora de tempo. Nada nunca foi muito certo. Nem eu nunca o quis.
Talvez porque eu não tenha bem a certeza de nada. Só da morte.
Nunca tive um plano que fosse. Talvez para um mês máximo. Nunca me apeteceu pensar a longo prazo. Não gosto de longos prazos.
Até comida com logo prazo de validade me faz impressão.
Mas de facto faz algum sentido ter um plano, ter objectivos de vida.
Ou não? é melhor tudo ao calhas?
Que será será?
Não sei.
Nunca consigo olhar e perceber bem se alguém é mesmo feliz ou não.
E não deveria ser óbvio? Não deveria estar estampado na face? O rosto da felicidade?
E é algo que me perturba. Porque acho que para se ser feliz é preciso coragem e determinação estoica mas invertida pelo que o seu objectivo é emocional.
Ou então é preciso ser-se sortudo, o que é muito raro.
E não é fácil lá chegar.
A busca objectiva da felicidade faz -me lembrar um atleta de alta competição.
Anos e anos a praticar. Horas e horas de sacrificio. Tudo o resto é secundário senão indiferente. Dez anos depois, chega o derradeiro momento.
Ou é uma grande vitória ou é a desilusão total.
E depois de receber a medalha de ouro? Vive feliz para sempre?
Ou olha para trás e vê que o seu rígido percurso não lhe permitiu viver todos os bons momentos da vida a que tinha direito e que os desperdiçou por um "objectivo" e uma filosofia rígida?
Será que eu sou como aquela história do homem a guiar em contramão que pensa que estão todos a vir contra ele?
Provavelmente.

10 Comments:

Blogger Giso said...

Minha querida,
o ser humano e' insatisfeito por natureza. Nunca esta' contente com o que tem. Precisa sempre de mais qualquer coisa, ou de algo diferente. O importante e' estabelecer objectivos que facam sentido para o proprio. Nao se pode ter tudo, 'a que escolher. E saber contrabalancar prioridades.

E de onde veio essa ideia moderna de felicidade como filosofia de vida? Ja' me irrita! Por todo o lado so' se ouve "o importante e' ser feliz!". Essa mania de colocar o nosso ego acima de tudo o resto. E' a vida kodac. Eu acho que o importante e' ter a capacidade de apreciar os momentos felizes! A vida e' uma grande macada (so' de pensar que hoje vou ter que ligar para os gajos do seguro outra vez... e que recebi um telefonema de uma colega a dizer-me que esta' doente... mas depois nao diz o que quer, que nao vale a pena, que nao quer incomodar...irra).
Bom, a minha opiniao. Vale a pena ter objectivos a medio prazo. E ir revendo esses objectivos. A longo prazo so' para pessoas muito decididas qt ao que almejam.
Bjs

4:26 da tarde  
Blogger RA said...

Este meu comentario serve para este post e para o teu post anterior. E so um link para outro post que nao da muitas respostas. A graca e que mistura felicidade (uma coisa esquisita) e Paul Newman (ainda ontem me comovi com um artigo que li em sua homenagem).
Um bj http://sushileblon2.blogspot.com/2008/10/felicidade-uma-coisa-esquisita.html

5:52 da tarde  
Blogger Catwoman said...

giso,
entao mas quem é que nao quer ser feliz?
a questao é:
O que é ser feliz?
é algo que se alcança? é momentaneo?
é obvio que há momentos felizes...mas isso nao faz de alguem uma pessoa feliz em geral..se é que isso existe. Lá está. Nao sei.
A vida nao é nada uma maçada. Nunca achei. Até me aparecerem 10 chatices ao mesmo tempo! só que em vez de ser falar c um gajo dos seguros, é mais serio..
O que nao quer dizer que nao venha a ser benefico para mim.
Posso vir a perceber exactamente o que realmente conta do meu ponto de vista.
Enfim...bla bla bla..
Gostei de ver as meninas lindas a correr (um momento kodak! for sure)
bjs cat

2:31 da manhã  
Blogger Catwoman said...

ra..a gaja é bem doidona né?
mas gostei do blog..
bj ( as classes? lol)

2:32 da manhã  
Blogger G! said...

Cat, mesmo quando na aparência tudo "bate certo" o mais provável é que isso não aconteça pois a aparência é uma ilusão.

Como tu própria o dizes "nem eu nunca o quis" e é essa espontaneidade que faz de ti quem és, a tua essência.

A felicidade tem estado algo arredada de ti, é verdade, mas não é porque não tens planos e deverias ter. São problemas de saúde e problemas sentimentais, não tem propriamente a ver com planos porque por mais planos que tivesses, serias sempre infeliz neste momento.

1:06 da tarde  
Blogger Catwoman said...

G...GSUS!
que raio de comment!

2:08 da manhã  
Blogger C@B said...

Se a teoria do gajo na auto-estrada em contra-mão fôr certa, não te preocupes, olha pró lado e verás que nem todos estão a vir contra ti. Alguns, muito poucos, tb vão no mesmo sentido que tu!

5:59 da tarde  
Blogger Catwoman said...

c@b...
mto poucos mesmo!lol..

6:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

beijooooooooooooosssssssssss....ânimo!!!!
Carlota

12:22 da tarde  
Blogger CR said...

Na minha humilde opinião, quem tem a felicidade como "objectivo" dificilmente lá chegará... A felicidade é aqui e agora. E podemos continuar a "ser" felizes "estando" tristes, deprimidos, zangados, whatever... Ser-se feliz não quer dizer que se ande de sorriso idiota na cara a toda a hora.
(o meu comentário é curto visto que, como sabes, tenho um blog inteirinho todo dedicado ao tema... lolololol)

4:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home